Uma história inacabada 2
 

Por Rodrigo Munari e Cleber Engel


Camilo, era um guri querido.
Tinha 10 anos, cabelos cacheados, pernas finas e falava pouco.
Sua cabeça era cheia de ideias, muitas delas.
Ele era uma pessoa inteligente, mas precisava de concentração e um certo esforço para
se comunicar. Alguns dos seus colegas não o entendiam, mas respeitavam o seu jeito.
Ele era bem sério, quando alguém em tom de brincadeira dizia algo que era pura imaginação, ele não achava muita graça.
Olívia sabia disso, era uma amiga de verdade.
Tinha 10 anos, cabelos compridos e cacheados, pernas grossas e falava muito.
Às vezes, na escola, era ela quem traduzia para os colegas as coisas que Camilo não conseguia expressar direito.
Um dia ele contou para ela, que a cabeça dele era tipo um armário, cheio de coisas meio bagunçadas e, de vez em quando, era um pouco demorado para encontrar a coisa desejada naquela pequena desorganização. Por isso ele se balançava repetidamente, o
movimento contínuo o ajudava a encontrar a coisa dentro da sua cabeça.
Tu sabes o que é TEA – Transtorno do Espectro Autista – ?
A Olívia e o Camilo sabiam bem, ela por ser amiga de uma pessoa com TEA, e ele, por ser uma pessoa com TEA.
Tem uma porção de gente que ainda não sabe: algumas pessoas com autismo tem uma audição mais sensível a sons e barulhos.
Digo isso porque naquela tarde, eles precisaram ser muito espertos.

 

Os dois amigos, foram extremamente espertos, nunca imaginavam que iriam passar por uma situação tão dolorosa.

Alguns alunos da escola, descobriram que pessoas com TEA tem a audição mais sensível, e com isso faziam de tudo para ver Camilo mal.

Olívia queria dar um basta para essas brincadeiras sem graça ( bullying), mas não tinha ideia suficiente para acabar com isso. Procurar ajuda da direção e dos pais, só iria piorar a situação, então, ficava refletindo todo tempo sobre o que precisaria fazer.

Os dois amigos saíram para caminhar num bosque lindo, perto da casa de Olívia e então os dois se deram um abraço, o melhor abraço da vida deles.

Então nessa conexão dos corações, ela teve a ideia de fazer cartazes pedindo ajuda e buscar um médico para dar uma palestra sobre TEA na escola.

Depois de feito todos esses trabalhos, tudo para o bem de seu amigo, todos os alunos começaram a ajudar, Camilo nas suas diferentes dificuldades do dia.

Olívia era uma amiga com suas diferenças também, como todos somos, mas uma menina com o coração gigante e que não via sua vida longe de Camilo, e com isso fez a cabeça de seus pais para se mudarem para a casa do lado de Camilo. Ela conseguiu.

Agora os dois eram vizinhos, amigos, colegas e irmãos de outra mãe, faziam tudo junto e o círculo de amizade sempre aumentando.

Na consulta de rotina, Camilo foi muito elogiado pelos médicos pelos avanços que obteve nos últimos seis meses e, sua família com os olhos cheio de lágrimas de alegrias falaram:

- Tudo graças a amiga Olívia.

As famílias agora eram unidas e lutavam juntos, graças as crianças do bem.

ACOMPANHE RODRIGO MUNARI NAS REDES SOCIAIS

  • Black YouTube Icon
  • Black Vimeo Icon
  • Black Facebook Icon
  • Black Twitter Icon
  • Black Instagram Icon