Uma história inacabada 2
 

Por Rodrigo Munari e Peter Werner


Camilo, era um guri querido.
Tinha 10 anos, cabelos cacheados, pernas finas e falava pouco.
Sua cabeça era cheia de ideias, muitas delas.
Ele era uma pessoa inteligente, mas precisava de concentração e um certo esforço para
se comunicar. Alguns dos seus colegas não o entendiam, mas respeitavam o seu jeito.
Ele era bem sério, quando alguém em tom de brincadeira dizia algo que era pura imaginação, ele não achava muita graça.
Olívia sabia disso, era uma amiga de verdade.
Tinha 10 anos, cabelos compridos e cacheados, pernas grossas e falava muito.
Às vezes, na escola, era ela quem traduzia para os colegas as coisas que Camilo não conseguia expressar direito.
Um dia ele contou para ela, que a cabeça dele era tipo um armário, cheio de coisas meio bagunçadas e, de vez em quando, era um pouco demorado para encontrar a coisa desejada naquela pequena desorganização. Por isso ele se balançava repetidamente, o
movimento contínuo o ajudava a encontrar a coisa dentro da sua cabeça.
Tu sabes o que é TEA – Transtorno do Espectro Autista – ?
A Olívia e o Camilo sabiam bem, ela por ser amiga de uma pessoa com TEA, e ele, por ser uma pessoa com TEA.
Tem uma porção de gente que ainda não sabe: algumas pessoas com autismo tem uma audição mais sensível a sons e barulhos.
Digo isso porque naquela tarde, eles precisaram ser muito espertos,
pois um grupo de jovens que estavam na praça, aonde eles também estavam, tinham um carro com o som ligado no máximo.

Isso fez Camilo ficar tonto e a falar em voz alta coisas sem sentido que até Olívia não entendia.
A barulheira que Camilo estava fazendo chamou a atenção do grupo de jovens que acharam engraçado o que Camilo falava. Então o grupo foi até Camilo e Olívia, um dos jovens pegou Camilo pelo braço e o levou até o banheiro que havia ali. Olívia então tentou defender seu amigo mas um dos jovens deu um tapa nela que fez ela cair no chão.
Olívia depois de levar o tapa se levantou e saiu correndo, Camilo que olha ela fugir tentou falar algo, mas não conseguiu pois só estava falando coisas sem sentido. Olívia depois de fugir da praça, parou numa árvore e descansou um pouco para recuperar o fôlego. Depois de descansar um pouco Olívia voltou para a praça mas sorrateiramente para nenhum dos jovens do grupo perceber.
Quando chegou perto do carro que tinha o som ligado percebeu que não tinha ninguém cuidando e que o grupo estava no banheiro gravando e zoando Camilo que não parava de falar coisas sem sentido. Então Olívia parou e pensou num plano para poder salvar Camilo daquele grupo de jovens.
Olívia então decidiu soltar o freio de mão do carro e deixar ele correr para trás aproveitando o declínio da rua. O carro então começou a correr e a Olívia se escondou atrás de uma árvore.

Um dos jovens percebeu que o carro estava andando e deu um grito, os outros sairam correndo atrás do carro deixando Camilo sozinho. Olívia então aproveitou a oportunidade, pegou Camilo pelo braço e o levou para longe da praça.
Camilo depois de um tempo recuperou sua fala e abraçou Olívia com toda sua força por ter uma amiga como ela que não deixou ele sozinho. Olívia então o abraçou também e eles ficaram assim por alguns longos minutos até que Olívia pegou na mão de Camilo e o levou tranquilamente para casa.

ACOMPANHE RODRIGO MUNARI NAS REDES SOCIAIS

  • Black YouTube Icon
  • Black Vimeo Icon
  • Black Facebook Icon
  • Black Twitter Icon
  • Black Instagram Icon